English French German Italian Spain

 


 

 

A ÚLTIMA TROMBETA

 

 

 

 

 

Sem dúvidas, a expressão "última trombeta" é uma das mais conhecidas no contexto profético. Livros, músicas, sites e outras formas de comunicação levam esse nome ou abordam esse tema.

O que é a última trombeta? Em que cenário ela está inserida? Será que a última trombeta é a sétima trombeta do Apocalipse? Cremos que o correto entendimento do que representa a última trombeta é fundamental para comprender todo o contexto profético para o fim dos tempos.

O termo "última trombeta" é encontrado apenas uma vez nas Escrituras. Está em I Coríntios 15:52. No contexto dessa passagem, Paulo está revelando um mistério aos irmãos em Corinto.

"Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados; Num momento, num abrir e fechar de olhos, ante a última trombeta; porque a trombeta soará, e os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós seremos transformados".

Veja que o mistério ao que Paulo se refere, revelado na carta aos irmãos em Corinto, não é a última trombeta. O mistério é que nem todos dormiremos, mas que seremos todos transformados, num abrir e fechar de olhos... Ao ler o contexto anterior da passagem, essa constatação se confirma. Paulo está relatando aos irmãos sobre a vivificação e a vitória sobre a morte física.

O mistério que Paulo revela aos irmãos é a glorificação corpórea, a qual ocorrerá de forma rápida [num abrir e fechar de olhos] aos que são de Cristo, mortos ou vivos. O mistério não é o arrebatamento, não é a vinda nem é a última trombeta.

A glorificação corpórea não tinha sido revelada até aquele momento em que Paulo, inspirado pelo Espírito do Criador, compartilhou essa revelação com os irmãos em Corinto.

Com base nessa premissa fundamental, sobre o verdadeiro mistério revelado em I Coríntios 15:50-52, podemos ir mais a fundo para saber do que se trata realmente a última trombeta.

Saber sobre a última trombeta é fundamental, pois a última trombeta é colocada por Paulo como um sinal. A vinda de Cristo e a glorificação da Igreja não se dará nem antes nem depois da última trombeta, mas ante a última trombeta [no momento em que soar a última trombeta].

 

OS IRMÃOS EM CORINTO JÁ SABIAM

 

Se o mistério não é a última trombeta, isso significa que a ideia de "última trombeta" era um conceito que os irmãos em Corinto já sabiam. Eles sabiam do que se tratava a última trombeta e quando soaria.

Embora, como já apontamos, o termo "última trombeta" só seja mencionado uma vez na Bíblia, não podemos esquecer que aqueles irmãos tinham como principal referencia os ensinamentos orais, sejam aqueles que transmitiam as Palavras de Cristo, sejam aqueles proferidos pessoalmente pelos apóstolos e anciãos.

Então, devemos ter em mente a constatação que aqueles irmãos em Corinto, embora não tendo o Novo Testamento, sabiam os ensinamentos de Jesus, transmitidos de forma oral. Então, se o termo "última trombeta" não era desconhecido para aqueles irmãos, do que se trata essa "última trombeta"?

 

NÃO É A SÉTIMA TROMBETA

 

Alguns ensinam que a última trombeta, citada por Paulo em I Coríntios 15:52, se refere à sétima trombeta do Apocalipse. Porém, esse ensino não nos parece correto. Primeiro, porque a carta aos coríntios foi escrita por Paulo por volta do ano 55 d.C, enquanto que a Apocalipse foi escrito muito depois [a maior parte dos especialistas o datam de 90 d.C].

Então, quando Paulo escreve aos coríntios e coloca a última trombeta como um sinal para situar aqueles irmãos com relação a quando ocorreria o momento da glorificação, ele escreveu muito antes da revelação apocalíptica dada a João em Patmos.

Ao mesmo tempo, como já vimos, a última trombeta, para aqueles irmãos em Corinto não era um mistério. Era algo que já havia sido revelado antes. Logo, cai por terra qualquer tipo de argumentação afirmando que a última trombeta é a sétima trombeta o Apocalipse.

Alguns crêem que o arrebatamento da Igreja ou a glorificação ocorrerão num momento midi-tribulacional, já que associam a última trombeta de I Coríntios 15:5-52 à sétima trombeta do Apocalipse.

No entanto, quando se comprende que a última trombeta é um sinal que foi revelado muito antes da sétima trombeta ter sido revelada a João em Patmos e quando é constado que a última trombeta soará justamente na vinda gloriosa de Cristo, então essa sustentação midi-tribulacionista perde sua base.

São dois conceitos totalmente diferentes. A sétima trombeta do Apocalipse faz parte de um grupo de sete e tem, em seu contexto, uma série de acontecimentos apocalípticos. Já a última trombeta é uma trombeta que soará num momento específico e com uma finalidade específica, como veremos mais adiante.

 

A ÚLTIMA TROMBETA É UM SINAL

 

A última trombeta é colocada por Paulo em I Coríntios 15:52 como uma referência. Ou seja, não pode ser confundida com o mistério. A referência é utilizada para dar uma maior compreensão ao mistério. A última trombeta foi utilizada por Paulo precisamente para situar aqueles irmãos em Corinto diante do mistério que ele acabara de revelar.

Então, Paulo utiliza um elemento concreto e conhecido por aqueles irmãos, para que eles tivessem uma referência concreta sobre quando ocorreria a glorificação, pois a glorificação ocorrerá em frações de segundos [num abrir e fechar de olhos].

Percebemos como é maravilhosa a Palavra revelada pelo Espírito, porque Paulo utilizou uma referência temporal apropriada para esse acontecimento. Se a glorificação será algo muito rápido, uma referência rápida também seria necessária. Por isso, o sinal da trombeta é utilizado. A trombeta soará num momento específico e é precisamente nesse momento que ocorrerá a glorificação em massa dos membros da Igreja!

Um exemplo para entender o que abordamos aqui é quando damos um endereço a uma pessoa que não conhece o lugar apontado no endereço. Obviamente, o endereço é um mistério. O que fazemos então? Damos um ponto de referência que é conhecido por aquela pessoa ou por alguém próximo.

É isso que Paulo faz em Coríntios 15:52, ao usar o termo "última trombeta" para situar aqueles irmãos diante do mistério da glorificação. Paulo associa o momento a glorificação, algo que ocorrerá num átimo de segundos, ao momento do soar da última trombeta! A última trombeta, no contexto de I Coríntios 15:50-52, é um ponto de referência!

 

O ENSINO DE CRISTO

 

Cremos que toda a revelação bíblica deve ser entendida através dos ensinamentos de Cristo. Se alguém não partir dessa base, por mais que tente defender essa ou aquela corrente interpretativa, partirá, cremos, de uma base errada. Cristo é a chave para comprenssão das Escrituras.

Nós nos baseamos na supremacia do ensino do Salvador. O Mestre, ao descrever os principais sinais de Sua vinda [a única revelada por Ele], diz o seguinte:

"E, logo depois da aflição daqueles dias, o sol escurecerá, e a lua não dará a sua luz, e as estrelas cairão do céu, e as potências dos céus serão abaladas. Então aparecerá no céu o sinal do Filho do homem; e todas as tribos da terra se lamentarão, e verão o Filho do homem, vindo sobre as nuvens do céu, com poder e grande glória. E ele enviará os seus anjos com rijo clamor de trombeta, os quais ajuntarão os seus escolhidos desde os quatro ventos, de uma à outra extremidade dos céus" [Mateus 24:29-31]

Então, o próprio Cristo, de forma clara, revela que, no momento de Sua gloriosa vinda, logo após a grande tribulação, haverá toque de trombeta! É óbvio que os irmãos em Corinto conheciam essa revelação do Mestre. Eles sabiam perfeitamente que, no momento da gloriosa vinda do Salvador, haverá "rijo clamor de trombeta" e que esse toque de trombeta será um sinal para o ajuntamento dos escolhidos nos céus!

Esta é a última trombeta! Milhares de trombetas, inclusive as apocalípticas, podem tocar antes. No entanto, a última trombeta soará no momento do glorioso regresso de nosso Rei. Não haverá trombeta posterior. "Última" significa precisamente "última". Quem quiser se opor a essa constatação, terá que se opor às regras mais básicas do entendimento e da lógica.

Então, não há como separar a glorificação da Igreja da vinda gloriosa de Cristo, logo após a grande tribulação. Note que Paulo, contexto da passagem sobre o mistério da glorificação, ele está falando aos irmãos em Corinto da "vinda de Cristo" [I Coríntios 15:23].

Perguntamos aqui, a que vinda Paulo se refere e que vinda os irmãos em Corinto tinham em mente quando leram a carta? Uma vinda oculta antes da tribulação ou no meio dela, ou a vinda retratada pelo Mestre, gloriosa e poderosa, logo após a maior de todas as tribulações?

Sendo coerentes com o conjunto de ensinamentos de Paulo e com a supremacia do ensino de Cristo, o que está sendo ensinado aos coríntios é que a glorificação dos corpos [algo que eles não sabiam até então], ocorrerá no momento em que soar a última trombeta, na vinda de Cristo [I Coríntios 15:23, I Coríntios 15:50-52]. Essa vinda, de acordo com o Senhor, se dará "imediatamente após" a maior de todas as aflições [Mateus 24:29].

Paulo, como em todas suas abordagens proféticas, aponta para o ensino de Cristo. Ele deu como referência o ensino de Cristo sobre a última trombeta, a qual soará no momento da gloriosa vinda do Mestre.

Situar a última trombeta antes da gloriosa volta do nosso Salvador, seja antes da tribulação ou no meio da tribulação, é afirmar que a "última" trombeta não é a "última"... Nós, preferimos ficar com o ensino do Mestre.

Em Cristo,

Jesiel Rodrigues



 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados