English French German Italian Spain

 

 

 

DISCERNINDO O REINO PARA ENTENDER A IGREJA

 

 

 

 

Este artigo foi elaborado a partir de um comentário feito por Johnerikson Santana numa Comunidade virtual na qual ele participa aqui no Brasil.

No comentário, ele aborda uma temática vital. Para entendermos o que é Igreja, devemos discernir primeiro o que é o Reino do Pai.

O reino do Eterno será implantado em todo o mundo por ocasião da volta do Ungido, quando Ele se assentará no trono de Sua glória (Mateus 25:31). Porém, esse Reino foi deixado para ser vivido e ensinado pela Igreja.

Nós somos embaixadores e anunciadores do Reino (Mateus 28:19-20). O Reino não é algo utópico ou surreal. Pelo contrário! O mundo, enquanto sistema, é uma ilusão e o Reino é tudo quanto realmente existe e o Reino é tudo quanto realmente importa.

O reino exige uma entrega total, sem compartimentalizações de nossas vidas. Quem quer seguir o Reino do Altíssimo não deve dividir sua vida em partes como "vida profissional", "vida social", "vida familiar", "vida eclesiástica", etc, mas deve fazer de sua própria vida um instrumento do Reino.

Não deve relacionar-se com o Criador como se este fosse um Todo-poderoso fornecedor, mas como o Todo-poderoso Pai e Senhor.

Quem quer pertencer ao Reino do Eterno deve rejeitar os padrões do atual sistema, pois o Reino nos propõe uma inversão radical desses padrões. Boa leitura!

 



 

Há algum tempo nos veio um entendimento do verdadeiro significado do Reino... Bem diferente do que tem sido ensinado...

Vocês sabiam que Jesus era apaixonado por falar do Reino? Lembram da parábola do homem que acha um tesouro no campo?

"O reino dos céus é semelhante a um tesouro que, oculto no campo, foi achado e escondido por um homem, o qual, movido de gozo, foi vender tudo o que possuía e comprou aquele campo.

É semelhante, ainda, a um negociante que buscava boas pérolas, e, tendo achado uma de grande valor, foi vender tudo o que possuía e a comprou" (Mateus 13:44-46).

O Reino é um mega projeto do Criador para a Raça Humana!!! Tão fantástico, grandioso e mais elevado do que qualquer coisa nessa vida que, quando alguém descobre seu verdadeiro significado, é capaz de deixar em segundo plano "tudo quanto tem".

E Jesus queria que as pessoas entendessem o Projeto do Reino. Por isso falava tanto dele. Certa vez, o Salvador deixou bem claro que não vale a pena acumular "tesouros" nesta terra, mas sim que vale muito mais a pena acumular tesouros nos céus.

Você sabe o que isso significa? Que há dois padrões de investimento e sucesso no universo...

Você pode escolher investir seu tempo, talentos, energias e juventude nos "tesouros" dessa atual dimensão e, provavelmente, vai conseguir fazer tudo isso.

O Altíssimo respeitará sua decisão e pode até abençoá-lo nessas buscas. Mas há uma segunda opção, incrivelmente mais lucrativa... Incrivelmente mais duradoura...

Incrivelmente mais capaz de nos dar um propósito pelo qual viver. E essa segunda opção é precisamente ajuntar tesouros nos céus!!! Vocês percebem...? Jesus usa uma linguagem do mundo dos investidores.

É como se Ele estivesse dizendo para seus ouvintes: "Acordem, percebam, meu Reino é muito mais valioso, grandioso e realizador do que tudo aqui neste mundo pequeno e medíocre.

Quando meu Reino finalmente se manifestar fisicamente, muitos lamentarão ter investido apenas nessa vida"...

A maioria das pessoas e até mesmo a maioria dos crentes passa a maior parte da vida investindo em seus próprios sonhos... Em suas próprias realizações... Em suas próprias conquistas... Muitos estão até mesmo sendo incentivados a fazerem isso em instituições denominadas cristãs!

Mas se esquecem de que aquele que realmente conseguir achar o tesouro no campo, tranquilamente vai entender que vale muito a pena vender tudo quanto tem... Vocês sabem o que significa vender tudo quanto tem, na parábola? Vender tudo quanto se tem é a única reação lógica daquele que entende a revelação do projeto do Reino!!!

Vocês percebem??? Entender o projeto do Reino é entender que nossa vida ainda nem começou...

Que nossa carreira, que todo nosso "patrimônio" está sendo (ou deveria estar) construído em outra dimensão e não nesta aqui.

Sim. O reino exige uma decisão radical. Exige uma renúncia radical também. Negar-se a si mesmo. Comumente, o "negar-se a si mesmo" é relacionado aos desejos pecaminosos da carne, porém, o ato da negação vai muito além.

É negar tudo o que em nossa vida se opõe à plena concretização do Reino em nós. É negar os meus planos, minhas prioridades, meus sonhos e colocá-los aos pés do Rei dos reis. É dizer: "Senhor, seja feita a tua Vontade, assim na terra como no céu" (Mateus 6:10).

Um exemplo disso podemos ver na experiência dos apóstolos. Eles foram chamados ao Reino pelo Messias e tiveram que tomar decisões radicais.

Eles abrem mão de seus próprios projetos e seguem o Mestre. Pedro, André, Tiago e João deixaram para trás as redes e os planos pessoais. Mateus deixou a banca e o conforto financeiro. Todos, exceto Judas, deixam suas prioridades e seguem o Senhor.

Não estamos aqui afirmando que devemos deixar de fazer tudo o que estamos fazendo e sair por aí... Não! O que estamos abordando aqui é sobre uma total entrega a Cristo, colocando sob o crivo de Sua vontade toda a nossa vida, sem restrições ou limites.

É estar disposto a deixar tudo para seguir o chamado do Mestre da forma que esse chamado se manifestar...

Deus não é um realizador de sonhos nem um despachante de bençãos, como muitos têm ensinado erroneamente de forma implícita e até mesmo explícita.

Ele não existe em função de nossos desejos. Relacionar-se com o Altíssimo como se Ele fosse um gênio da lâmpada é perpetuar uma antiga prática pagã e fazer coro com ensinamentos como os do livro "O Segredo" e outros que até mesmo trazem o rótulo de "cristãos".

O Criador não é uma força sempre disposta a satisfazer nossos desejos quando cumprimos alguns "passos" ou "técnicas". Ele é uma Pessoa Soberana e quer se relacionar conosco como um Pai se relaciona com o seu filho.

O Reino é Dele e Ele é o Rei. Passaremos a discernir o Reino quando colocarmos todos os nossos sonhos, propósitos, planos, idéias e convicções, sob a soberania da vontade Dele, que é boa, perfeita e agradável.


OS VALORES DO REINO


Jesus Cristo, em Seu ministério terrestre, vai mostrando dia a dia os reais valores do Reino. Uma coisa fica patente do começo ao fim de tal ministério: Os valores do Reino são radicalmente contrários aos valores deste mundo!

As Leis do Reino são invertidas em relação às leis desta atual dimensão, e quando entendermos isso, nossa vida dará uma virada...

Se para o mundo o maior é o maior e o menor continua sendo o menor, para o Reino o maior será como o menor! (Lucas 22:26, Mateus 18:1-5).

Se para o mundo o montante de uma oferta é importante, para o Reino a disposição do coração fala mais alto, fazendo com que duas simples moedas sejam mais do que muito ouro e prata! (Lucas 21:4).

Se para o mundo ocupar um alto escalão social ou político é precioso, para o Reino não (Colossenses 3:2). Se no mundo os títulos são importantes, no reino todos somos irmãos (Mateus 23:8).

Se o sistema induz as pessoas a buscarem vingança, o Reino as ensina a dar a outra face (Mateus 5:39).

Se o mundo gosta de aparências, opulência e notoriedade, o Reino busca os humildes e os limpos de coração.

Se o mundo gosta de cerimonialismos, shows e exibicionismos religiosos, o Reino ensina sobre a comunhão íntima com o Pai (Mateus 6:6).

Se o mundo busca institucionalismo, o Reino busca relacionamento... Como já vimos, discernir o Reino significa perder a vida neste mundo.

Ou seja, renunciar à vida tal qual o mundo a propõe como modelo. Quem fizer isso, ganhará a verdadeira vida (Lucas 17:33).


CONCLUSÃO


Na moderna era da informação rápida e dos resultados imediatos, as pessoas estão querendo soluções prontas. Elas querem o sucesso, a cura, a felicidade de forma instantânea.

E o pior: Querem tudo isso de acordo com os padrões do mundo. Não querem fazer uma longa caminhada com Jesus. Não querem experimentar a regeneração e a mortificação da natureza decaída.

Enfim, elas não querem se relacionar com o Altíssimo de forma pessoal e profunda. Querem apenas resolver seus problemas e conflitos. Só isso. E neste contexto, muitos tem tentado preencher esse desejo da maioria, oferecendo fórmulas mágicas.

"Venha, ... Olha aqui, eu tenho "4 passos para a felicidade", ou "7 etapas para conseguir o que você quer". "Esse será o melhor ano de sua vida", "consiga o que você quer, é só confessar isso com a boca"..., etc...

O Reino não é uma fórmula mágica nem usa de elementos de marketing para existir. O Reino é uma caminhada. É o plano do Criador para Sua criação. É um moldar contínuo de nosso caráter e de nossa mente.

É uma mudança radical do rumo deste mundo. Enquanto os princípios do Reino não forem discernidos, o verdadeiro papel da Igreja e a verdadeira comunhão entre os irmãos não será vivida. Bençãos serão recebidas? Sim, pois a Graça e Misericórdia do Pai são incalculáveis.

Porém, o fato de sermos um como Jesus e o Pai o são, só ocorrerá quando a Igreja discernir plenamente o que é o Reino.

O vender "tudo quanto se tem" da parábola do tesouro é uma metáfora. Representa uma decisão que se toma quando se entende, por revelação e não por convicção intelectual, o quanto o Reino é infinitamente mais precioso do que qualquer coisa nesta terra, como aquele homem entendeu ao encontrar seu tesouro.

É a decisão de relativizar todas as coisas de nossas vidas, de tudo aquilo que se tem aqui, em relação ao projeto do Reino do Pai.

Cunhamos até uma frase para sintetizar todo este entendimento sobre o verdadeiro significado do Reino: "O Reino é tudo quanto (realmente) existe e o Reino é tudo quanto (realmente) importa..."

Parece radical demais, não é? Mas quando as pessoas entenderem o verdadeiro significado do Reino, então ficará muito, mas muito mais fácil entender (e sobretudo viver) o verdadeiro significado de ser igreja!!!

Em Cristo,

Johnerikson Santana

 


 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados