English French German Italian Spain

 


 

Recomendamos atualizar constantemente esta página


O Padrão do Amor de Deus

 

"Porventura pode uma mulher esquecer-se tanto de seu filho que cria, que não se compadeça dele, do filho do seu ventre? Mas ainda que esta se esquecesse dele, contudo eu não me esquecerei de ti" [Isaías 49:15]

O amor de mãe geralmente é usado como referência ao maior tipo de amor humano que possa existir. De fato, no aspecto humano, cremos que isso é verdade. Uma pessoa pode amar seus amigos, irmãos, um companheiro [a], mas esse amor pode ser fugaz, ficar relativizado às circunstâncias do dia a dia ou simplesmente ser confundido com outros sentimentos. Em geral, o amor humano pode sofrer graves rupturas ou até mesmo desaparecer. Pode misturar-se com outras emoções ou interesses.

Porém, quando falamos de amor de mãe, falamos de um sentimento e decisão que surgem do âmago da alma e que independem das circunstâncias ou desse amor ser correspondido. Uma mãe que não é amada pelos filhos, sendo às vezes maltratada, continua amando-os... As verdadeiras mães nos ensinam que o amor se manifesta mais no sofrimento e renúncia que no prazer e bem-estar.

Estamos falando, obviamente, de mães que exercem verdadeiramente esse papel e essa missão. Porém, o próprio Criador diz que ainda que uma mãe esquecesse do fruto do próprio ventre, Ele não se esquece de Seu povo... Ele não se esquece de Seus filhos... O próprio Pai nos ensina um padrão de amor superior!

Isso nos leva a uma profunda reflexão. O nosso amor pelos semelhantes deve seguir o mesmo padrão do amor de Deus. Um amor espiritual que vai além do amor natural que uma mãe possa ter pelos seus filhos. Esse é o tipo de amor que Deus quer que tenhamos uns pelos outros.

O que pode parecer utopia ou um simples sonho, deve ser nosso alvo. Quando Jesus nos ensina a amar ao próximo como a nós mesmos, Ele diz que a mesma afeição, cuidado, apreço, compreensão e respeito que temos por nós mesmos, devemos ter com nossos semelhantes.

O padrão de amor que o Pai nos deixa não é o das relações humanas, por mais lindo e profundo que seja esse amor, mas o que Ele próprio sente e expressa por nós:

"Nós amamos porque ele nos amou primeiro" [I João 4:19]

Jesiel Rodrigues

 

 

Membros do Mesmo Corpo - A Soberania de Deus no Deserto - Lutando Contra o Comodismo - Recompensados pelo que está em Oculto - Os Propósitos de Deus e os Sofrimentos da Vida - A Noite de José - Janelas Abertas para Jerusalém - Três Coisas que não Podem Faltar no Deserto - Valorizando o que Vale a Pena - A Renúncia Diária - Visão Diante da Luta - Vencendo Ursos e Leões - O Grande Médico - Oposição - Refrigério na Batalha - Toda a Justiça - Sem Diálogo com o Mal - Limpando o Templo - Trono do Altíssimo - Pecados Apagados - Ciente em Cada Necessidade - As Pedras e a Glória - Agradecimento - Deixe Ele usar Você - A Sós com o Pai - Verdadeiro Amigo - Grandioso Pai - O Altíssimo Sabe - Lágrimas - Só Mais um Pouco - Tempo para o Pai - Os Benefícios do Senhor - Os Gritos - Renovando as Forças - O Bom Pastor e as Ovelhas - Deixando os Cântaros - Jesus, Lázaro e os Porquês - Na Casa do Pai - Ameaças Ocultas e Declaradas - A Verdade


 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados