English French German Italian Spain

 


[Recomendamos atualizar esta página utilizando o comando F5]

Compartilhe com outras pessoas

 

Ameba que 'come cérebro' causa morte de criança e gera pânico na Argentina

 

Um menino de oito anos morreu na Argentina após contrair uma ameba conhecida pelo nome de Naegleria fowleri, ou "ameba que come cérebros".

Ao entrar no corpo humano, ela destrói o tecido cerebral, além de causar edema (acúmulo de líquido) e, posteriormente, morte.

É a primeira vez que o caso, tido como raro, é relatado na Argentina, segundo o jornal "Clarín".

Ainda de acordo com a publicação, a criança contraiu a ameba em 2017, quando nadava em uma lagoa próxima à província de Junín, localizada a 320 quilômetros da capital Buenos Aires.

A doença tem alto grau de mortalidade. Os Estados Unidos, que já registraram 129 casos entre 1962 e 2013, com apenas dois sobreviventes.

Sixto Raúl Costamagna, ex-presidente da Associação Parasitológica da Argentina, acredita que a ameba tenha chegado ao país por alterações climáticas globais.

A Naegleria fowleri é frequentemente encontrada em água doce, como lagos, rios e nascentes de água quente.

Esse parasita nada livremente e, em geral, entra no corpo pelo nariz, enquanto as pessoas nadam ou mergulham. Ele pode, então, chegar até o cérebro e causar uma infecção devastadora.

FONTE: Gazeta Online



 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados