English French German Italian Spain

 


[Recomendamos atualizar esta página utilizando o comando F5]

Compartilhe com outras pessoas

 

Gemido da natureza: inundações no sul da Ásia deixam ao menos 700 mortos

 

Cerca de 700 pessoas morreram no sul da Ásia nas últimas horas e mais de um milhão tiveram que abandonar os seus lares, por causa de violentas tempestades, informaram autoridades locais.

Pelo menos 100 mortos foram registrados durante a última noite na Índia e em Bangladesh devido ao último episódio das chuvas torrenciais, que começaram em 10 de agosto. "O balanço total de mortos [no local] chega a 205", disse Kumar à France Presse.

Cerca de 400 mil pessoas permaneciam em abrigos habilitados pelas autoridades nesse estado.

O Nepal também se viu danificado pelas inundações e deslizamentos de terra que mataram 135 pessoas. Outras 30 são consideradas desaparecidas após o que a ONU qualificou como as piores inundações no país em 15 anos.

No estado indiano de Bengala Ocidental, no leste do país, e em Asam, no norte, somaram 122 mortes e quase três milhões de danificados em uma zona onde as violentas chuvas danificaram gravemente estradas e vias férreas.

Em Bangladesh, peloo menos 115 pessoas morreram e 5,7 milhões de habitantes se viram afetados pelas inundações, disse à France Presse Shamim Naznin, responsável do Departamento de Gestão de Desastres.

FONTE: G1



 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados