English French German Italian Spain

 


 

 

GOG E A INVASÃO DO EXTREMO NORTE

 

 

 

 

Este artigo é resultado das considerações feitas no programa do dia 22/03/14, na Rádio Projeto Ômega. Sabemos que há várias interpretações para as profecias de Ezequiel 38 e 39 e respeitamos todas elas.

No entanto, vamos expor neste artigo aquilo que entendemos desse tema, o qual nos parece crucial, em função de acontecimentos que já estão ocorrendo neste momento e outros que já vêm ocorrendo há algum tempo.

Ezequiel recebeu essas revelações no século VI a.C, enquanto se encontrava cativo na Babilônia, junto ao seu povo. Muitos livros, estudos, pesquisas e comentários têm sido elaborados ao longo do tempo sobre essas profecias de Ezequiel 38 e 39.

Cremos que, à medida que o tempo vai passando e os acontecimentos vão tomando forma, ficamos com uma visão mais clara sobre todo o contexto previamente profetizado. Com as profecias sobre Gog não é diferente.

Acontecimentos que estão tendo lugar bem diante de nós, podem estar apontando para uma concretização bem localizada dessas profecias...

 

O REI DO EXTREMO NORTE

 

Cremos que este é um ponto fundamental para chegar a conclusões equilibradas sobre o que as profecias de Ezequiel 38 e 39 querem expressar. O profeta Ezequiel descreve Gog como o "rei do extremo norte":

"Virás, pois, do teu lugar, do extremo norte, tu e muitos povos contigo, montados todos a cavalo, grande ajuntamento, e exército poderoso" [Ezequiel 38:15]

As palavras usadas para descrever a localização de Gog, no hebraico, são tsaphown yerekah , que indicam uma localidade que se encontra no flanco ou no lado mais ao norte possível [1].

Se formos ao mapa, veremos que, a nação suficientemente grande e influente para comandar uma coalização de nações, como é descrito nas profecias de Ezequiel 38 e 39, e cuja capital fica praticamente no extremo norte de Jerusalém, é a Rússia.

Então, este primeiro ponto nos parece crucial para entender as profecias de Ezequiel 38 e 39. O "extremo norte", tomando como base Jerusalém, é a Rússia. A grande capital situada no extremo norte de Israel, é Moscou.

Outro detalhe importante no texto que citamos [Ezequiel 38:15], é que este rei "do extremo norte" marchará contra Israel levando "muitos povos" consigo. Então, enquanto mais ao norte situarmos Gog, mais povos surgem, sob o aspecto geográfico, como potenciais aliados.

 

OS ALIADOS DE GOG

 

Apartir do versículo 5 do capítulo 38, começa a detalhado o grupo de aliados de Gog. Não apenas aliados, mas nações ou povos que marcharão sob a "guarda" ou proteção de Gog [Ezequiel 38:5]. Entre esses aliados, estão os persas. Não é necessário explicar muito que os "persas" são os iranianos.

Então, o Irã é relacionado como um dos aliados de Gog. Até 1979, o Irã era um aliado ferrenho dos EEUU e dos países ocidentais no Oriente Médio.

No entanto, basta ver o que ocorreu a partir daquela data e o que vem ocorrendo atualmente, onde o alinhamento do Irã com a Rússia é inquestionável [2].

Na lista de aliados, aparecem outras nações que apontam, direta ou indiretamente, para a Rússia. A maior parte dos povos apontados por Ezequiel em sua profecia, está relacionada às adjacências do Mar Negro.

Togarma, segundo a genealogia bíblica, foi neto Jafé, um dos filhos de Noé. Togarma, segundo pesquisadores, é considerado o ancestral de povos do Cáucaso do Sul, onde atualmente se encontram a Geórgia e a Armênia.

Se olharmos para o mapa acima, ficará clara a relação geográfica desses povos com a Rússia. Não nos parece coincidência que haja um constante interesse russo naquela região, gerando, inclusive, a guerra da Ossétia do Sul, em 2008 [3].

Outro aliado de Gog é Gômer. Na genealogia biblica, Gômer foi um dos filhos de Jafé e pai de Togarma. No caso de Gômer, não há referências muito bem fundamentadas. No entanto, segundo linguistas, a palavra "Gômer", está relacionada ao vocábulo acadiano "Gimirra", de onde provém o termo "Ciméria".

Então, Gômer é associado por alguns linguistas aos Cimérios, habitantes das redondezas do Mar Negro, atuais Ucrânia e Rússia [4].

Já Meseque e Tubal, nomes que estão relacionados, e que são povos que aparecem nas profecias de Ezequiel 38 e 39, também apontam para povos daquela região [5].

Já Pute e "etiopes", assinalados também como aliados de Gog, são relacionado a povos do norte da África. Pute foi um os filhos de Cam e neto de Noé.

Dentro da grande maioria de povos descendentes de Jafé citados nas profecias de Ezequiel 38 e 39, Pute e etíopes aparecem como uma verdadeira exceção.

Então, considerando os aspectos geográficos, de ascendência étnica e até mesmo os processos geo-políticos que vêm ocorrendo ao longo do tempo, não há como negar que as profecias de Ezequiel 38 e 39 apontam para esses povos que atualmente habitam o norte ou as redondezas do Mar Negro.

Também, não parece ser coincidência os conflitos surgidos na Síria e na Ucrânia. A Síria ocupa um lugar estratégico no contexto dessa invasão descrita por Ezequiel.

Sobre a Ucrânia, já vimos que aquela região está diretamente relacionada às profecias. É notório o interesse russo, tanto na Síria como na Ucrânia. Basta ver o que tem ocorrido na Crimeia, um local estratégico dentro do contexto das profecias de Ezequiel 38 e 39.

 

UMA INVASÃO SURPRESA

 

Uma característica que fica bem clara na atuação de Gog é a surpresa. Ezequiel narra que a decisão para atacar Israel virá após um "mau desígnio" surgido de palavras que subirão ao coração de Gog.

Isso aponta para um planejamento silencioso e para uma quase total ausência de ameaças prévias ou de intenções declaradas. Podemos dizer, considerando a narrativa de Ezequiel, que a invasão de Gog e seus aliados a Israel surpreenderá a quase todos, pois será um evento muito repentino.

Haverá surpresa de povos relacionados à Europa e aos países árabes [Ezequiel 38:13]. Sebá, Dedã e Társis são mencionados como surpreendidos e contrários a essa invasão de Gog.

Sebá e Dedã são nomes que apontam para nações da Arábia ou do Oriente Médio, reconhecidas por sua habilidade no comércio e nos negócios [6].

Já Társis, se refere a uma localidade que, nos tempos de Ezequiel, denominaba regiões além mar no Mediterrâneo, podendo indicar a Europa ou até mesmo a península ibérica, ou seja, localidadades ocidentais [7].

É por causa desse caráter repentino e inesperado da invasão de Gog, que é necessário, cremos, estar atentos ao que está ocorrendo imediatamente ao norte do Oriente Médio.

Os deslocamento de tropas, as tensões entre OTAN e Rússia, as crises nacionalistas nas proximidades do Mar Negro e a guerra civil na Síria, dentre outros, são fatores que parecem estabelecer condições para a futura concretização de Ezequiel 38 e 39.

Essa invasão é descrita por Ezequiel como como uma tempestade, na forma de uma nuvem que cobre a terra [Ezequiel 38:9]. Sem dúvidas, será uma concentração muito grande de tropas e armamentos.

As profecias indicam que, após a derrota de Gog e suas tropas, os armamentos desses exércitos serão utilizados como combustível durante sete anos por Israel [Ezequiel 39:9].

Ao mesmo tempo, o texto mostra que Israel estará vivendo, quando ocorrer a invasão de Gog e seus aliados, num clima de paz ou aparente paz.

Talvez, um dos assuntos mais recorrentes nas manchetes mundiais nos últimos anos seja o "tratado de paz" ou as "conversas de paz" entre israelenses e palestinos, em torno de assuntos como o Estado Palestino e o controle de Jerusalém. Vemos como tudo se junta num contexto que só faz ratificar as profecias das Escrituras.

 

A INFLUÊNCIA ESPIRITUAL

 

Cremos que, por trás dos grande poderes humanos deste mundo, existe a atuação de principados espirituais. Essa realidade fica clara em Daniel 10, onde é descrito o principado de Pérsia [Daniel 10:13] e o da Grécia [Daniel 10:20].

Os impérios políticos humanos sempre têm surgido dessa interação entre o orgulho e a ganância dos homens com a influência e poderio de forças espirituais da maldade. No caso de Gog, isso não se mostra diferente.

Entendemos que o mesmo principado que, num determinado momento influenciará uma liderança para promover a invasão do Oriente Médio já em nossa atualidade, assim como é relatado em Ezequiel 38 e 39, é o mesmo principado que agirá no final do Milênio, o qué revelado em Apocalipse [Apocalipse 20:8].

Assim como os exércitos de Gog e seus aliados serão derrotados de forma sobrenatural, como mostram as profecias de Ezequiel 38 e 39, também a rebelião mundial que ocorrerá no final do Milênio será desfeita, pois o plano do Altíssimo para Sua criação e para os Seus é que o Messias reine sobre tudo e todos.

Jesiel Rodrigues

Obs: Esse artigo foi escrito em 10/05/14

 

FONTES:

[1] http://www.blueletterbible.org/Bible.cfm?b=Eze&c=38&t=KJV#s=t_conc_840015

[2] http://exame.abril.com.br/mundo/noticias/ira-e-russia-chegam-a-acordo-para-construir-usinas-nucleares

[3] http://pt.wikipedia.org/wiki/Guerra_na_Oss%C3%A9tia_do_Sul_em_2008

[4] http://pt.wikipedia.org/wiki/Cim%C3%A9rios

[5] http://pt.wikipedia.org/wiki/Mesech

[6] Jones, Alfred. Hitchcock’s: Bible Dictionary. [S.l.]: Hitchcock Publications, 1990.

[7] http://pt.wikipedia.org/wiki/T%C3%A1rsis_(cidade)

 


 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados

Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free nike blazer