English French German Italian Spain

 

UMA EXCELENTE NOTÍCIA!

 

 

 


No decorrer dos séculos, o termo "evangelho", assim como milhares de outros, foi perdendo seu significado inicial.

Evangelho, palavra derivada do termo grego evangelion, significa "boas novas" ou, para sermos mais atuais, "boas notícias".

Então, na essencialidade da palavra, "evangelho" é boa notícia. Evangelho não é um conjunto de credos e elaborações teológicas.

Quando vemos todo o contexto da história humana, podemos afirmar que o evangelho é a melhor de todas as notícias e o anúncio dessa excelente notícia foi uma característica marcante da caminhada de Jesus Cristo na Terra há aproximadamente 2.000 anos, quando Ele, sendo o Criador de todas as coisas e tendo a plenitude do Pai, esvaziou-se a sim mesmo por amor de nós e encarnou, humilhando-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz (Filipenses 2:5-11)

Qual era essa excelente notícia, afinal? Seria um conjunto de regras, rituais e leis, nos moldes das religiões que já existiam e das que ainda existem?

Não! Seria a afirmação de que o homem, através de suas próprias capacidades e virtuosismos, poderia alcançar a perfeição? Também não...

A excelente notícia era simples e direta: O Reino do Eterno havia chegado! (Marcos 1:14). Jesus veio para revelar aos homens que o Altíssimo o enviou para reconciliar-se com o mundo.

Para ter uma idéia da importância dessa notícia, devemos entender o que ocorreu desde o princípio. A Palavra diz e o próprio Ungido o ratificou, que o Altíssimo criou o homem (Gênesis 1:26-31).

Quando o Criador fez o homem, assim como toda a natureza, o criou em perfeição. O homem e toda a natureza viviam em perfeita comunhão com o Criador, num cenário muito diferente ao que vivemos hoje, quando tanto a humanidade como a própria natureza estão mostrando cada vez mais sua condição decaída.

O homem, que fora criado pelo Eterno para relacionar-se pessoalmente com o Seu Pai, foi dotado de livre escolha.

O Eterno não criou seres robóticos para que lhe obedecessem de forma mecânica. Ele quer se relacionar com os Seus filhos tendo como base o amor, pois Ele é amor.

Porém, o homem escolheu desobedecer ao Pai e crer na palavra enganosa do diabo, um ser angelical que havia sido criado pelo Eterno, mas que, usando sua livre escolha, havia se rebelado contra o Criador tempos antes.

No momento em que o homem e a mulher creram na palavra do diabo e rejeitaram a Palavra do Altíssimo, produziu-se uma ruptura na comunhão entre o homem e o Eterno.

Essa ruptura é conhecida por muitos como "queda" (Gênesis 3:1-24). Essa queda se alastra a todos os seres humanos descendentes daqueles primeiros criados pelo Senhor.

O Criador é o amor e é puro. Ele não pode ter comunhão com o erro e com a injustiça. A partir daquele momento, o homem se tornou um ser carente de Seu verdadeiro Pai. Um órfão espiritual.

Passou a buscar nos prazeres e nas religiões formas de amenizar o enorme vazio existencial que passou a existir a partir daquela ruptura que havia sido feita. Os efeitos desse distanciamento entre o homem e o Seu criador começaram a se manifestar de forma paulatina. Surgiram os primeiros assassinatos.

As primeiras traições. Guerras. Homens queimando seus próprios filhos e entregando-os aos "deuses". Sim, os homens começaram, na falta do verdadeiro, a criar seus próprios "deuses".

O caráter degenerado, corrupto e mau de nossa sociedade atual é reflexo daquilo que ocorreu desde o início. A Bíblia revela que as coisas irão piorando, até quando seja implantado fisicamente o Reino do Altíssimo.

Porém, a maior de todas as conseqüências da queda humana no Éden foi a morte. O ser humano não foi criado para morrer. No jardim do Éden, havia uma árvore denominada a "Árvore da Vida" (Gênesis 2:9).

A Bíblia revela que essa árvore produz frutos que trazem aos que os consomem a vida eterna (Gênesis 3:22, Apocalipse 22:2). É por isso que a morte nos causa tanta apreensão. Não fomos criados para morrer!

Esse é o cenário com o qual o Senhor Jesus se deparou quando veio à Terra. Pessoas sobrecarregadas com pesadas regras religiosas vazias ou entregues aos seus próprios desejos, doentes, desesperançadas e temerosas da própria morte.

Pessoas que, assim como nós, estavam sedentas por uma boa notícia. E a boa notícia veio.

Essa notícia é que o próprio Criador decidiu, por amor, enviar Seu Filho unigênito para pagar todas as dívidas geradas por todos os erros humanos de todas as eras. Uma dívida tão grande que apenas o Filho do Criador podia pagar.

A maior parte das pessoas crê que o Altíssimo decidiu enviar Jesus Cristo depois que o homem desobedeceu no Éden. Isso não é verdade. A verdade é que o Pai, sendo onisciente, já sabia que o homem desobedeceria, mesmo antes de iniciar a criação.

Antes de criar os anjos, o universo e tudo o que há, o Senhor já sabia o que ocorreria. Mesmo assim, decidiu criar por amor. A Bíblia diz que o Senhor Jesus é o "Cordeiro que foi morto desde a fundação do mundo" (Apocalipse 13:8).

Você criaria um ser, sabendo por antecipação que esse ser se rebelaria contra você e, por causa dessa rebelião, você teria que enviar seu próprio filho para ser sacrificado pelos erros desses seres criados, buscando voltar a ter comunhão com esses seres? Foi isso que o Eterno fez. Só o amor explica isso.

Então, a boa notícia é essa: Nosso Eterno Pai decidiu reconciliar em Cristo todas as coisas que há nos céus e na Terra (Colossenses 1:20).

Quando Jesus disse na cruz "está consumado", Ele decretou que naquele momento o próprio Deus havia se reconciliado com o mundo, que antes estava fadado à condenação por causa da queda humana.

O Criador enviou o Seu próprio Filho, pois não havia nada que o homem pudesse fazer para reconciliar-se com o Pai e não há nada que o homem possa fazer, pois diante de Deus nossa justiça e virtude próprias nada valem em termos de reconciliação.

A decisão de reconciliação partiu do próprio Pai de amor. Ele amou o mundo de tal maneira que enviou seu próprio Filho para morrer e receber a sentença em nosso lugar (João 3:16). Agora, basta a cada um de nós reconciliar-nos com Ele em Cristo.

Jesus é a nossa salvação. Ele é a obra perfeita do Pai, pois pelas nossas próprias boas obras jamais teríamos sido justificados diante Dele.

Quem está em Cristo e vive pela Graça do Eterno já não carrega acusações, carmas ou dívidas a serem pagas diante do Criador e da criação, pois essas dívidas foram pagas e cravadas na cruz.

Elas foram pagas a preço de sangue. Essa é a simplicidade do Evangelho que poucos conseguem aceitar, pois suas mentes humanamente religiosas sempre pedem liturgias, instituições, purificação através da própria caridade, sacrifícios físicos, homens sagrados, rituais, aparições, etc.

Nada pode ser acrescentado a essa Verdade, pois quando há acréscimos, deixa de ser o Evangelho de Jesus e passa a ser "outro evangelho" oposto ao de Cristo (Gálatas 1:8)

O reino do Salvador está entre nós, como Ele mesmo afirmou (Lucas 17:21). Jesus veio instituir esse reino. Quando vemos uma criança, podemos ver esse reino.

Quando observamos pessoas que não confiam em sua própria justiça nem vivem negociando com o Altíssimo, mas confiam em Jesus e naquilo que Ele já consumou, vemos o reino do Pai.

Quando vemos a beleza da natureza e das artes, vemos o reino de Pai. Porém, esse reino, que hoje está "entre nós", como sal do mundo, que salga mas não é plenamente identificado, virá de forma visível e plena dentro de pouco tempo.

O Senhor Jesus prometeu que regressaria para reinar sobre o mundo e exercer perfeita justiça, já não mais como um carpinteiro da Galiléia, mas com toda a Sua glória e poder divinos (Mateus 24:29-31, Mateus 25:31).

Sua volta está cada vez mais próxima e pode ocorrer já nesta geração. Uma das maravilhosas conseqüências de Sua volta é que a morte será aniquilada (I Corintios 15:51-55). Nós teremos corpos glorificados e reinaremos eternamente com Ele! Tudo isso faz parte da excelente notícia.

Diante de uma boa notícia, geralmente temos tres reações possíveis. A primeira é não acreditar nessa notícia. A segunda é buscar mais informações. A terceira é crer imediatamente.

Diante da boa notícia que é o Evangelho de Jesus Cristo, se você optou pela primeira alternativa, a de não crer, queremos lhe dizer que você, ao escolher não crer, está se colocando fora do plano de salvação do Altíssimo para a humanidade.

Você estará rejeitando o amor do Pai manifestado em Jesus Cristo. Em outras palavras, você estará dizendo: Eu não aceito para mim essa boa notícia, eu não quero vivê-la. Vou continuar com a minha religião ou com o meu ceticismo...

Essa liberdade de escolha é um direito seu, dado pelo próprio Criador. A conseqüência eterna para essa escolha é que você viverá em completa separação do Senhor, o que é o maior de todos os sofrimentos, pois é um sofrimento que atravessa as barreiras do tempo e espaço e se prolonga por toda a eternidade. Pedimos ao Senhor que você não aja dessa forma.

Se você optou pela segunda alternativa e quer saber mais sobre essa excelente notícia, lhe aconselhamos a ler os livros que narram o ministério do Senhor e as cartas que foram escritas pelos Seus apóstolos.

Recomendamos especialmente a você o livro de João, o de Lucas e a carta aos Romanos. Você pode entrar em contato conosco também através do e-mail boletimomega@gmail.com.

Teremos o prazer em lhe responder o que for necessário a respeito da excelente notícia que é o Evangelho. Porém, pedimos que você antes de tudo isso, peça ao próprio Pai que lhe mostre a Verdade. Peça a Ele com sinceridade de coração e você verá.

Agora, se você creu na boa notícia trazida pelo Senhor Jesus e quer viver a plenitude do Evangelho de Cristo em sua vida, então temos mais uma ótima notícia para você: Pela fé, você já está justificado diante do Criador! Veja o que o Senhor Jesus diz:

"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora. Porque eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou.

E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia.

Porquanto a vontade daquele que me enviou é esta: Que todo aquele que vê o Filho, e crê nele, tenha a vida eterna; e eu o ressuscitarei no último dia" (João 6:37-40)

"Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus; Sendo justificados gratuitamente pela sua graça, pela redenção que há em Cristo Jesus" (Romanos 3:23-24)

Pois é! Basta confiar no que Jesus Cristo disse quando ele bradou na cruz "está consumado".

Se você crer e confessar com a sua boca, arrependendo-se de todos os seus erros, crendo que eles forma apagados pelo sangue de Jesus Cristo na cruz, você já nasceu de novo.

É algo simples e profundo ao mesmo tempo e você começará a experimentar algo jamais vivido antes e que é difícil expressar em palavras. Você será mais um membro do Corpo de Cristo.

Você será templo do Espírito Santo e o Senhor Jesus estará espiritualmente com você todos os dias.

Você entenderá que Jesus Cristo não é um ser distante, mas que Ele quer caminhar conosco a cada dia, pois para não viver sem nós, Ele morreu por nós.

Você esperará com alegria a volta do Rei Jesus para estar pessoalmente com Ele para sempre.

Você já não temerá a morte, pois a Sua esperança estará Naquele que venceu a própria morte e garantiu que nós a venceríamos também Nele.

O Senhor Jesus não veio fundar uma religião, uma denominação ou uma instituição eclesiástica.

Não veio para construir templos suntuosos nem para envolver-se com os padrões deste sistema, que é está morto no maligno e encontra-se fadado ao fracasso e à destruição.

Não veio para ser mais um homem sábio que ensina coisas sábias. Ele veio trazer reconciliação.

Procure pessoas que seguem o Evangelho de Cristo com simplicidade e sinceridade e comece a congregar com eles em amor. Peça ao Altíssimo para que Ele lhe guie a essas pessoas.

Caso queira, envie um e-mail para boletimomega@gmail.com e nós conversaremos sobre essa boa notícia. Você começará a caminhar pessoalmente com os seus irmãos em Cristo e com o próprio Criador.

Para isso fomos criados. Para termos paz e comunhão uns com os outros e com o nosso Pai. Ele quer se relacionar conosco em amor e amizade. Paulo sobre o Senhor Jesus:

"O qual é imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação. Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades; tudo foi criado por ele e para ele.

E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele. E ele é a cabeça do corpo da igreja; é o princípio e o primogênito dentre os mortos, para que em tudo tenha a preeminência, porque foi do agrado do Pai que toda a plenitude nele habitasse e que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra como as que estão nos céus" (Colossenses 1:15-20)

Em Cristo,

PROJETO ÔMEGA



 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados