English French German Italian Spain

 

              

 

 

O EXEMPLO DE PAULO   

 

 

 

 1. Paulo às vezes tinha seus propósitos impedidos, até mesmo por Satanás (I Tessalonicenses 2:18).

A concretização de nossos propósitos e planos depende da vontade perfeita do Eterno. Às vezes, Ele permite que nossos propósitos sejam impedidos até mesmo pelo inimigo.

Porém o resultado final, na vida daquele que serve ao Altíssimo, será benéfico para os planos Dele e também para nós, pois tudo coopera para o bem daqueles que amam ao Pai.

Consequentemente, nem todos os nossos propósitos têm necessariamente que cumprir-se como e quando nós desejamos e planejamos.

2. Paulo ensinava os irmãos para contentar-se, em termos de propriedades materiais (I Timóteo 6:8)

Tendo esses dois elementos (alimentos e vestimenta) devemos contentar-nos, e não buscar de forma prioritária outros bens materiais. Se o Pai quiser abençoar-nos com outros bens, eles devem ser recebidos com ações de graças.

Porém, se possuirmos apenas o indispensável para sobreviver neste mundo (alimento e vestimenta), não devemos estar insatisfeitos com essa condição.

3. Paulo sofria de uma enfermidade, provavelmente repugnante e que lhe acometia a visão (Gálatas 4:13-14)

O Senhor pode curar qualquer enfermidade e não deseja que os seus servos sejam doentes. Porém, o tempo do Eterno é diferente do nosso.

A cura pode ocorrer instantaneamente, no decorrer de algum tempo, de forma progressiva ou até mesmo com a morte física do cristão, decorrente da enfermidade.

A morte física é sinônimo de glorificação e de posse de um corpo incorruptível, pois nossa esperança não deve estar atrelada a uma saúde eterna no corpo que possuímos no momento, o qual é corruptível e, cedo ou tarde, sofrerá as conseqüências do pecado original sobre ele.

Consequentemente, a palavra de Isaias 53:4 se cumprirá dentro do tempo do Criador. Não há obrigatoriedade de cura no momento e na forma que desejamos.

4. Paulo era esbofeteado por um mensageiro de Satanás através do "espinho na carne" (II Coríntios 12:7-9)

Nós somos mais do que vencedores e estamos livres do domínio satânico. Porém, isso não impede que os filhos do Pai Eterno sejam, sob a permissão divina, atacados por entes malignos. O filho do Altíssimo só é intocável na medida em que Ele assim o desejar.

5. Paulo nem sempre tinha seus desejos particulares atendidos (Romanos 1:23, II Coríntios 12:8)

Nem sempre aquilo que desejamos será atendido pelo Senhor. Algumas coisas desejadas por nós não fazem parte do plano do Eterno para Sua criação.

Outras fazem parte desse plano, porém se concretizarão no tempo do Pai, que é o tempo perfeito.

6. Paulo foi açoitado, apedrejado e sofreu naufrágios, sendo martirizado em 68 d.C. através (muito provavelmente) da decapitação (II Coríntios 11:25)

Sermos do Altíssimo não nos torna isentos de sofrer fisicamente como resultado da perseguição à nossa fé.

7. Paulo muitas vezes passou fome, frio, sede e nudez (II Coríntios 11:27)

Quando um filho do Eterno passa por essas situações de sofrimento como resultado direto de sua fé em Jesus, deve alegrar-se e não reclamar ou murmurar.

Deve ser um privilégio para o cristão passar por todo tipo de perseguição e sofrimento decorrentes da oposição deste mundo a sua fé.

Consequentemente, nem sempre que um cristão passa por situações parecidas às de Paulo, o mesmo está "amaldiçoado" ou "com pouca fé". Pelo contrário, o mesmo está sofrendo conseqüências físicas da oposição do sistema a sua fé...

8. Paulo nem sempre era bem visto socialmente (II Coríntios 11:32-33)

O cristão, como embaixador de Jesus, deve ter uma conduta irrepreensível diante da sociedade. Devemos seguir a paz com todos, sempre que possível.

Porém, quando a nossa fé entrar em confronto com aquilo que a sociedade nos impõe, devemos optar pela fé no Messias, sem preocupar-nos com a inserção social ou com as leis humanas.

9. Paulo profetizou que nos últimos dias as pessoas não suportariam a sã doutrina, mas tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntariam para si mestres, segundo seus próprios desejos (II Timóteo 4:3)

A revelação deixada à Igreja não promete um paraíso terrestre a seus membros neste tempo (antes da volta de Jesus). Temos promessas de proteção, suprimento, cura, vitória, mas, ao mesmo tempo, exortações a respeito de aflições, perseguições, rejeição e martírio.

A vitória total do cristão deve ser entendida sob um aspecto profético: há etapas proféticas que precisam concretizar-se em seu devido tempo.

10. Paulo, no decorrer de sua vida apostólica, aprendeu a contentar-se com as circunstâncias em que se encontrasse. Falta, abundância, fome, fartura, fazia parte da vida de Paulo (Filipenses 4:11-13)

O cristão fiel e em comunhão com o Pai, não deve entender as circunstâncias de escassez ou sofrimento como "maldição" ou "falta de fé".

Há um propósito divino até mesmo dentro desses momentos de agrura. Devemos orar ao Criador sempre pedindo o que é bom e agradável, porém sabendo que a resposta virá no momento do Pai e não no nosso.

A resposta poderá até mesmo vir no momento da morte, que, para aquele cujo viver é Cristo, deve ser lucro.

11. Paulo ensinou que todas as nossas necessidades seriam supridas. Não ensinou que todos os nossos desejos seriam concretizados (Filipenses 4:19)

O Senhor conhece nossas necessidades melhor que nós mesmos e Ele as suprirá, de acordo com o Seu plano.

Os nossos desejos são concretizados sob a condição deles estarem em comunhão com a vontade do Eterno e no momento perfeito determinado por Ele.

12. Paulo nos ensina a não nos conformarmos com o mundo. Nunca ensinou a não nos conformarmos com a situação financeira em que nos encontrássemos (Romanos 12:1)

Nossa insatisfação deve estar direcionada ao sistema maligno no qual o mundo jaz e que, no tempo certo, será destruído.

Devemos contentar-nos com aquilo que o Altíssimo nos dá como suprimento e entrar por todas as portas abertas por Ele, pois elas nos trarão bênçãos espirituais e materiais.

Cremos que a vida de Paulo serve como um paradigma para nossas vidas respeitando, obviamente, o contexto social e cultural de cada época.

Porém, nossa índole pessoal e nossas expectativas diante das profecias bíblicas estão muito acima dessas diferenças temporais.

O evangelho que está sendo ministrado a você é um evangelho diferente daquele pregado e vivido por Paulo? Então está na hora de seguir o conselho do apóstolo:

"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema" (Gálatas 1:8)

"E rogo-vos, irmãos, que noteis os que promovem dissensões e escândalos contra a doutrina que aprendestes; desviai-vos deles" (Romanos 16:17)

Em Cristo,

Jesiel Rodrigues

 


 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados