English French German Italian Spain

 


 

 

COMENTÁRIO 13 [PARTE 1]

 

 


Neste comentário, tentaremos responder as argumentações contidas no artigo "O Apocalipse já aconteceu! Analisem os fatos!", postado no blog "Exegese Original".

O artigo preterista é muito detalhado e extenso. Por essa razão, dividiremos nossos comentários em algumas partes. Esta é a parte 1. Nos próximos dias, se o Eterno Pai permitir, postaremos as outras partes.

Como sempre, nosso intuito é que nossos leitores tenham acesso a diferentes argumentações e saibam o que entendemos sobre o tema.

Não pretendemos, de forma alguma, desmerecer ou atacar o entendimento preterista, mas apenas expor aquilo que entendemos. As argumentações do blog "Exegese Original" estarão identificadas com as iniciais EO e as do Projeto Ômega com as iniciais PO.

EO: No seu famoso sermão profético, Jesus disse:

"Em verdade vos digo que não passará esta geração sem que todas estas coisas aconteçam" [Mt 24:34]

Uma geração, segundo a bíblia, dura quarenta anos:

"Assim se acendeu a ira do SENHOR contra Israel, e fê-los andar errantes pelo deserto quarenta anos até que se consumiu toda aquela geração, que fizera mal aos olhos do SENHOR" [Números 32 : 13]

Jesus morreu aproximadamente no ano 30 da era comum. Se somarmos quarenta anos após sua morte, temos o ano 70. Esse foi exatamente o ano em que Jerusalém caiu.

Então, vemos que Jesus disse a verdade. Não passou aquela geração sem que acontecesse tudo que Jesus disse que iria acontecer. Então porque dizem que a geração de que falou Jesus é a nossa de dois mil anos depois?

PO: A passagem de Mateus 24:34 é utilizada de forma recorrente pelos preteristas. Muito mais do que fazer versículos se encaixarem em determinada teoria ou entendimento, cremos que o mais importante é usar o discernimento e a inteligência que o Criador dá a cada um que Dele os busca.

É interessante notar que próprio enunciado preterista acima assume que Mateus 24 se trata de um "sermão profético" do Salvador. Logo, entendemos que deve ser entendido como um conjunto coeso.

Para que o argumento peterista faça sentido, então todas as coisas narradas pelo Messias em Mateus 24 devem ter ocorrido até o ano 70 d.C. Porém, basta uma leitura superficial de todo o contexto, para notar que muitos eventos ou situações narradas pelo Salvador em Mateus 24 não ocorreram naquela época [entre os anos 30 d.C e 70 d.C].

Quando ou onde foi vista a vinda de nosso Salvador como um relâmpago até o ano 70 d.C? Se as Escrituras afirmam que todo olho verá a vinda do Mestre, então, porque ninguém viu esse evento até 70 d.C?

Existe algum registro histórico do sol escurecendo, a lua não dando a sua luz, as estrelas caindo do céu e as potências dos céus sendo abaladas entre 30 d.C e 70 d.C, tudo isso ocorrendo logo após a maior de todas as tribulações? As tribos da Terra se lamentaram diante de eventos impactantes nos céus?

Esses e vários outros eventos profetizados pelo Mestre em Mateus 24, obviamente, não ocorreram naquela geração etária. Logo, nos parece que o argumento preterista aqui é inválido. A passagem de Mateus 24:34 fala claramente que não passaria aquela geração sem que todas as coisas narradas pelo Salvador ocorressem.

Muitas vezes, o intuito de fazer uma passagem encaixar-se nesta ou naquela teoria, faz com que verdades básicas ou até mesmo racionais sejam negadas. A verdade é que a grande maioria dos sinais profetizados pelo Messias em Mateus 24 não ocorreram em 70 d.C ou nos anos anterioresa 70 d.C.!

Quando vamos ao significado do termo grego genea, usado em Mateus 24:34 para "geração", vemos que não apenas se aplica a um período de 40 anos, mas também se aplica à sucessão hereditária de um povo ou nação [1]. Logo, o termo "geração" está associado não apenas a um limite de tempo, mas também a uma sucessão hereditária de uma nação.

Então, cremos que o mais coerente é interpretar Mateus 24:34 sob a ótica de geração nacional. O Messias estava revelando, cremos, que a nação de Israel, em seu caráter hereditário, não passaria, até que se cumprissem todas as coisas profetizadas, até o fim.

Defender que o termo "geração" em Mateus 24:34 se refere à faixa etária de 40 anos é defender que todos os sinais profetizados pelo Ungido se cumpriram atpé o ano 70 .C, o que, como já comentamos, nos parece surreal...

EO: Jesus disse mais, disse que os discípulos não terminariam de percorrer Israel sem que ele viesse:

"Quando pois vos perseguirem nesta cidade, fugi para outra; porque em verdade vos digo que não acabareis de percorrer as cidades de Israel sem que venha o Filho do homem" [Mateus 10:23]

PO: Em primeiro lugar, é importante entender essa passagem à luz de outras passagens semelhantes, como a de Mateus 24:9-14. São passagens que se referem à perseguição que haveria aos discípulos por causa do nome do Mestre e da pregação do Evangelho.

Quem ler o contexto de Mateus 10:23, assim como o contexto de Mateus 24:9-14, perceberá que o Salvador fala de uma perseguição não apenas localizada em Israel, mas também entre os gentios, na presença de "governadores e reis" [Mateus 10:18].

Ao mesmo tempo, o Salvador coloca como ponto culminante dessa perseguição a Sua própria vinda [Mateus 10:23] e o "fim", como fica exposto em Mateus 24:14:

"E será pregado este evangelho do reino por todo o mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim"

Logo, o contexto apontado, de pregação do evangelho do reino a todas as nações, é algo incompatível com o límite preterista, que impõe o ano 70 d.C. como ponto culminante do cumprimento dessa passagem.

Mateus 10:23 deve ser entendido sob o contexto das outras paasagens que narram ou revelam o mesmo assunto. Se essas passagens, de forma clara, apontam para uma pregação mundial do evangelho, para uma perseguição mundial, com os discípulos sendo levados diante de reis e governadores, para a gloriosa volta do Messias e o "fim" ocorrendo logo após disso, então como pode se encaixar com o período de 30 d.C a 70 d.C?

O mais coerente é afirmar que o evangelho do reino voltará a ser anunciado em Israel, pouco antes do glorioso e visível regresso do Messias. Há várias profecias apontando para uma restauração espiritual de Israel no tempo do fim [por exemplo, Zacarias 12].

Um arrependimento nacional de Israel que não ocorreu até 70 d.C, mas que ainda ocorrerá... Quando isso ocorra, antes que todas as cidades israelenses sejam percorridas com a pregação do evangelho do reino, num tempo de intensa tribulação e perseguição, o Rei voltará.

EO: Que alguns não morreriam sem que vissem ele chegando com seu reino:

"E em verdade vos digo que, dos que aqui estão, alguns há que não provarão a morte até que vejam o reino de Deus." [Lucas 9:27]

"DIZIA-LHES também: Em verdade vos digo que, dos que aqui estão, alguns há que não provarão a morte sem que vejam chegado o reino de Deus com poder." [Marcos 9:1]

"Em verdade vos digo que alguns há, dos que aqui estão, que não provarão a morte até que vejam vir o Filho do homem no seu reino." [Mateus 16:28]

PO: Cremos que as passagens de maior dificuldade interpretativa devem ser entendidas sob o prisma de passagens mais fáceis de entender e também à luz de todo o contexto das revelações.

A pergunta a ser feita aqui: Alguém já viu o Messias vindo no seu reino, acompanhado com hostes angelicais, ao som de trombeta, de forma vísivel e gloriosa, num evento tão poderoso que fará com que até mesmo elementos cósmicos sejam abalados?

A única volta do Salvador revelada nas Escrituras é essa descrita acima. Então, cabe aqui a pergunta: Alguém já presenciou isso?

Não é coerente nem lícito tomar apenas algumas passagens que parecem encaixar-se num modelo interpretativo e ignorar outras que tratam do mesmo tema. Por exemplo, em Apocalipse 1:7:

"Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém"

Então, todo olho verá a gloriosa manifestação do Messias em Sua volta. Todas as pessoas que estiverem naquela ocasião com aptidões físicas de ver esse acontecimento, até mesmo aqueles que traspassaram o Salvador... Logo, voltamos a perguntar: Todos viram essa manifestação em algum momento até o ano 70 d.C? A população mundial presenciou isso no século I? É óbvio que não...

Não entraremos nem sequer no mérito da possibilidade de alguns contemporâneos da primeira vinda do Ungido, no século I, tenham, de alguma forma, sido preservados para testemunhar os tempos finais que ainda virão.

O Criador é suficientemente poderoso para, em tese, preservar durante séculos um grupo de pessoas com essa finalidade. A exemplo de Enoque e Elias, pessoas podem ter sido tomadas por Ele para esse propósito específico.

Para nós, não existe dificuldade em pensar nesses termos. De pessoas do século I sendo fisicamente preservadas pelo Altíssimo em alguma dimensão, com o intuito e testemunhar o Messias retornando com poder e glória. Porém, o que fica patente é que esse retorno ainda não ocorreu...

Então, não vemos aqui incompatibilidades no fato de que pessoas do século I, através de uma preservação especial, vejam a gloriosa volta do Messias ou, ao menos, o sinal nos céus que precederá essa volta [Mateus 24:30].

No entanto, o que sim nos parece incompatível é afirmar que Jesus veio em seu reino, com poder e glória, no ano 70 d.C...

EO: E até Caifás, o sumo sacerdote o veria:

"Disse-lhe Jesus: Tu o disseste; digo-vos, porém, que vereis em breve o Filho do homem assentado à direita do Poder, e vindo sobre as nuvens do céu" [Mateus 26:64]

Note que Jesus disse em BREVE e não dois mil anos depois. Então porque distorcem as palavras de Jesus?

PO: Aqui, o argumento preterista está centrado na expressão "breve". No raciocínio preterista, se o Mestre disse que "breve", então Sua gloriosa vinda deveria ocorrer naqueles anos.

No entanto, esse raciocínio ignora completamente que a noção de tempo profético do Pai não está em nada restrita às noções ou parâmetros humanos. Todo o Novo Testamento e, principalmente, o Apocalipse, está repleto de expressões como "em breve", "cedo", etc, mostrando a proximidade do cumprimento total daquilo que está revelado.

Até em cartas paulinas, como por exemplo, na carta aos romanos, Paulo cita essa proximidade profética:

"E o Deus de paz esmagará em breve Satanás debaixo dos vossos pés. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo seja convosco. Amém" [Romanos 16:20]

Fica muito claro que Satanás ainda não foi esmagado, pois encontra-se em plena atividade nos dias atuais, quando a maldade e a iniquidade em todo o mundo estão chegando ao seu ápice. Mas, ele será esmagado "em breve"...

A própria Escritura nos mostra que os parâmetros de tempo do Criador não são os nossos. Pedro, explicando precisamente essa confusão que parece atingir os preteristas, ensina que aquilo que aparentemente demora e não se cumpre de forma rápida ou "breve" de acordo com parâmetros humanos, se deve a que os parâmetros temporais do Criador são diferentes:

"Mas, amados, não ignoreis uma coisa, que um dia para o Senhor é como mil anos, e mil anos como um dia. O Senhor não retarda a sua promessa, ainda que alguns a têm por tardia; mas é longânimo para conosco, não querendo que alguns se percam, senão que todos venham a arrepender-se" [II Pedro 3:8-9]

Então, o que Pedro ensina aqui de forma clara e objetiva é que o que para os homens pode significar 1 dia, para o Altíssimo pode significar 1000 anos... Pedro ensina que, ainda que para alguns as promessas pareçam demorar, porque eles as esperavam para aquele tempo, a forma do Criador determinar os tempos é diferente, baseada no amor e na sua infinita comprensão e soberania sobre a dimensão temporal.

Para um ser humano, acostumado a viver aproximadamente 70 ou 80 anos, "breve" pode significar algo que ocorrerá nos próximos meses ou anos... Mas para Aquele que criou o próprio universo, "breve" pode significar outra coisa... Pode significar 1000, 2000 ou 100.000 anos...

EO: Mesmo no apocalipse, a promessa de sua vinda é em breve e ele seria visto até mesmo pelos que os transpassaram:

"REVELAÇÃO de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer; e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo" [Apocalipse 1:1]

"Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém" [Apocalipse 1:7]

Então, porque ignoram isto e o contexto e dizem que isso se refere a dois mil anos depois? Vontade de passar pelo apocalipse? Falta de estudo e conhecimento bíblico? Ou mais uma forma de manipular os fiéis?

PO: Neste ponto, o preterismo volta a mostrar sua incoerência. Ora, se o Apocalipse diz, expressamente, que todo olho verá o Salvador vindo com as nuvens, então quando e onde isso já ocorreu? Onde estão as milhões de testemunhas oculares da vinda gloriosa do Ungido?

Se formos coerentes com o conjunto das Escrituras, a vinda "com as nuvens" descrita em Apocalipse 1:7, a qual será vista por "todo o olho", é a mesma vinda majestosa e poderosa registrada em Mateus 24:29-31, precedida por impactantes sinais cósmicos, por um sinal de grande magnitude no céu, por uma apreensão generalizada entre as nações e pela manifestação física e visível do Salvador, vindo dos céus...

Então, perguntamos, onde e quando isso ocorreu no século I? Onde estão as testemunhas desse grande e majestoso acontecimento? As questões de interpretação temporal, sobre a expressão "em breve" já foram abordadas nas questões anteriores, julgamos não ser necessário repetí-las.

Vamos nos deter um pouco no ponto em que diz "até os mesmos que o traspassaram", no texto de Apocalipse 1:7. Lido de forma humana e racional, isso significa que as mesmas pessoas que levaram o Ungido à cruz e alí o crucificaram, verão a vinda Dele com poder e glória.

Como já dissemos numa resposta acima, cremos na completa soberania e poder do Eterno de manter viva uma ou mais pessoas durante séculos ou milênios, se assim Ele o desejar...

No entanto, entendemos que aqui a passagem se refere não específicamente aos agentes humanos que levaram o Mestre para a cruz, mas ao povo israelense. O nosso argumento é o da coerência bíblica. Uma profecia de Zacarias mostra como devemos entender a questão de Apocalipose 1:7 dos que traspassaram o Mestre:

"E acontecerá naquele dia, que procurarei destruir todas as nações que vierem contra Jerusalém; Mas sobre a casa de Davi, e sobre os habitantes de Jerusalém, derramarei o Espírito de graça e de súplicas; e olharão para mim, a quem traspassaram; e prantearão sobre ele, como quem pranteia pelo filho unigênito; e chorarão amargamente por ele, como se chora amargamente pelo primogênito. Naquele dia será grande o pranto em Jerusalém, como o pranto de Hadade-Rimom no vale de Megido" [Zacarias 12:9-11]

Nessa profecia, Zacarias mostra que chegará um momento em que haverá um grande arrependimento sobre Israel. Ele derramará sobre a casa de Davi e sobre os habitantes de Jerusalém o Espírito de graça e de súplicas... É neste momento, que o Messias será visto por aqueles que o traspassaram... Isso fica claríssimo nesta profecia de Zacarias.

E quando ocorrerá isso, de acordo com Zacarias? No ano 70 d.C, quando Jerusalém foi destruída pelas hostes romanas ou quando todas as nações que estiverem cercando Jerusalém forem destruídas de forma sobrenatural pelo Altíssimo? Porque essa profecia de Zacarias cita expressamente o vale de Megido [Armagedom]?

Claramente, o texto de Apocalispe 1:7, ao ser entendido à luz de Zacarias 12:9-11 e do restante das revelações proféticas, aponta para um evento que ainda ocorrerá. Um evento ligado ao momento profético quando as nações reunidas contra Israel no Armagedom serão derrotadas pelo Messias em Sua gloriosa volta [Apocalipse 19].

Então, respondendo às questões do artigo preterista, não cremos que seja a ignorância, a vontade de passar pelo Apocalipse, a falta de estudo ou a manipulação que nos faz acreditar no futurismo de Apocalipse 1:7.

Entendemos que cada texto das Escrituras deve ser entendido à luz de todo um contexto. Milhares de modelos interpretativos, de doutrinas ou de movimentos podem ser construídos usando um número restrito de passagens ou interpretanto essas passagens sob o raciocínio humano.

 

[1] http://www.blueletterbible.org/lang/lexicon/lexicon.cfm?Strongs=G1074&t=KJV

 

PROJETO ÔMEGA

 

 


 

Saiba que o Altíssimo está no controle de tudo e de todos. Mesmo nos momentos mais difíceis, Ele estará conosco. A nossa salvação em Cristo é eterna. Nele, somos novas criaturas. Ele já venceu a morte. Ele é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na tribulação. Se você leu este artigo e ainda não tem a certeza da salvação eterna em Jesus, faça agora mesmo um compromisso com Ele! Convide-o para entrar em seu coração e mostrar-lhe a verdade que liberta. Veja porque você precisa ser regenerado e justificado, para viver a boa, perfeita e agradável vontade eterna do Criador e estar firme Nele diante de qualquer circunstância. Clique AQUI.

 

 

 


© Copyright Projeto Ômega – Todos os direitos reservados

Scarpe da donna Scarpe Scarpe Adidas adidas Scarpe Scarpe Scarpe hogan oakley nike air presto new balance nike air max adidas Scarpe nike free nike blazer